Buscar
  • Odonto Brasília

Como profissionais de saúde bucal podem reduzir a propagação do coronavírus

O novo tipo de coronavírus, identificado no fim do ano passado na China, na província de Wuhan, pertence a uma grande família viral que atinge o sistema respiratório. Sua capacidade de contagio gerou alerta internacional. Assim, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), com base em levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, apresenta medidas que cirurgiãs(ões)-dentistas devem adotar como forma de prevenção de infecções respiratórias, como a causada pelo coronavírus (COVID-19).

Vale lembrar que ainda estão sendo realizadas investigações sobre as formas de transmissões do novo tipo do coronavírus. Contudo, já se sabe que a disseminação ocorre de pessoa para pessoa. O vírus pode ser transmitido pelo ar, por meio de gotículas de saliva, espirro ou tosse, e também contato com secreções e superfícies ou objetos contaminados, seguido de toque na boca, nariz ou olhos.


É altamente recomendado a profissionais de saúde, entre eles cirurgiãs(ões)-dentistas, não negligenciar medidas de precaução padrão durante os procedimentos, como o uso de máscaras cirúrgicas, luvas, avental não estéril e óculos de proteção. Para procedimentos como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, o indicado é a precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.


Também são medidas consideradas importante para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus, lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool 70%. Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente. Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo. Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.


Além disso, o CROSP também aconselha aos profissionais da saúde bucal a se imunizarem contra a gripe. A campanha nacional de vacinação contra a Influenza (tipos A, B e C) foi antecipada pelo Ministério da Saúde como estratégia para não sobrecarregar os atendimentos hospitalares em casos de gripe e auxiliar os profissionais de saúde a acelerarem o diagnóstico para o coronavírus. A campanha terá início no dia 23 de março.

Matéria retirada do site: saudebusiness.com

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram

© 2019 desenvolvido por Agência OX.